Antoine De Saint-Exupery

Vida...
Cada um que passa em nossa vida
passa sozinho...
Porque cada pessoa é única para nós,
e nenhuma substitui a outra...
Cada um que passa em nossa vida
passa sozinho, mas não vai só...
Levam um pouco de nós mesmos
e deixam um pouco de si mesmos.
Há os que levam muito,
mas não há os que não levam nada.
Há os que deixam muito,
mas não há os que não deixam nada.
Esta é a mais bela realidade da vida...
A prova tremenda de que cada um é importante
e que ninguém se aproxima do outro por acaso!

Lilian Russo

AUSENCIA VERBAL!

Ruas estreitas.
Largas avenidas.

Gente por todo o lado.
Ninguém.
Tantas vidas.
Uma música. Um fardo.
Um ser fardado.
Alguém.
Bares cheios.
Lugares vazios.
Barrigas cheias.
Barrigas vazias.
Imprevisível previsão.
Gente só de um lado.
Ninguém a teu lado.
Também.
Pouca gente.
Muita vida.
Um bem.
Uma lágrima.
Um suspiro.
Uma saudade.
Outrem.
Alegria. Verdade. Intensidade.
Sensibilidade.
Doce mar salgado.
Amargo rio doce.
Sol quente.
Lua quente.
Toda vida.
Você.


Carlos Drummond de Andrade

A CASA DO TEMPO PERDIDO!

Bati no portão do tempo perdido, ninguém atendeu.
Bati segunda vez e mais outra e mais outra.
Resposta nenhuma.

A casa do tempo perdido está coberta de hera
pela metade; a outra metade são cinzas.
Casa onde não mora ninguém, e eu batendo e chamando
pela dor de chamar e não ser escutado.

Simplesmente bater. O eco devolve
minha ânsia de entreabrir esses paços gelados.
A noite e o dia se confundem no esperar,
no bater e bater.

O tempo perdido certamente não existe.
É o casarão vazio e condenado.



Sirlei L. Passolongo

EM VÃO

Busquei
Seu beijo em outro beijo
Seu carinho em outras mãos
Foi uma busca em vão
Só encontrei você!

Tentei
Sonhar outro amor
Amar outro alguém
Seguir outro horizonte
Nele não vi ninguém
Só encontrei o meu ontem
Mais uma vez, foi em vão
Só encontrei você.

Tentei
Esquecer você
Em vão...
Esqueci de mim
Esqueci de viver
Esqueci de te esquecer
Só não esqueço
Que amo você!


Pablo Neruda

Gosto quando te calas porque estás como ausente,
e me ouves de longe, minha voz não te toca.
Parece que os olhos tivessem de ti voado
e parece que um beijo te fechara a boca.

Como todas as coisas estão cheias da minha alma
emerge das coisas, cheia da minha alma.
Borboleta de sonho, pareces com minha alma,
e te pareces com a palavra melancolia.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.
E estás como que te queixando, borboleta em arrulho.
E me ouves de longe, e a minha voz não te alcança:
Deixa-me que me cale com o silêncio teu.

Deixa-me que te fale também com o teu silêncio
claro como uma lâmpada, simples como um anel.
És como a noite, calada e constelada.
Teu silêncio é de estrela, tão longinqüo e singelo.

Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.
Distante e dolorosa como se tivesses morrido.
Uma palavra então, um sorriso bastam.
E eu estou alegre, alegre de que não seja verdade.


Luís de Camões

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer
É solitário andar por entre a gente
É nunca contentar-se de contente
É cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence, o vencedor
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Marcial Salaverry

A força de um amor

A força de um amor,
prova-se na sua dor

Uma separação,
faz sofrer o coração
Bate aquela saudade,
dando uma enorme vontade
de juntos ficar
que não impede o amar

Uma vez amando,
de verdade se apaixonando,
a distância não é nada,
sempre se sente a presença amada

Quando vem o forte desejo
de sentir aquele doce beijo,
que está em nossa recordação,
de novo sentimos sua emoção...
Usando o que temos na memória gravado
Aquele momento de um amor apaixonado


Cecilia Meireles

O Amor...
É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.

Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os fortes.

Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz...

É Para Poucos.

Sirlei L. Passolongo

Amor e encanto

Quando chegaste,
Reaprendi a sorrir sem medos
Despi sonhos outrora secretos...

Agora, deixo-me guiar por teus olhos
Mostra-me um mundo pleno de nós...
As frases que tua boca pronuncia
Soam em meus ouvidos
Suaves melodias
Encanto, acalanto; poesia.

O calor das tuas mãos
Deram fim a minha solidão.
O que era desalento deu viço de vida,
Salvou-me em tempo de toda agonia...

E teu beijo é poção que me encanta
Da mais doce e sonhada magia.


Benjamines

COMPARAÇÃO


Teu amor é como as flores
Que exalam nos campos,
Que florescem nos jardins,
Que se avolumam nos vasos.


Vão se abrindo! Colorindo!
Meus olhos vão sorrindo...
Bate o vento, se enobrecem;
Respiram, expiram,
Flores que me aquecem.


Surgem flores e mais flores
Cobrindo a terra, cobrindo a rua,
Vem à noite, vem a lua...
Ficam mais belas!
E quando escurece,
Aquece, me enlouquece!


Teu amor é o único
Que exala em meu peito,
Que floresce em minha alma,
Que avoluma em meu sangue...


Minha esperança, minha segurança,
Minha certeza de viver.
Escuto o coração, ouço você,
Suas mãos a me proteger.


Surgem carinhos e mais carinhos
Enchendo o meu corpo de calor.
Vem a canção, vem o verso,
Vem-me a certeza do teu amor!


Deste amor presente de você:
Puro, coberto de paixão,
Que tão meigamente plantaste,
Adubaste em meu coração!


Benjamines

ABISMO

Minhas forças de vida esvaiam-se.
A solidão morava em mim.
Não sentia os dias nascerem,
Nem das noites o seu fim.

Estava sempre só. Ninguém olhava.
Parecia uma sombra, na rua transitava.
Minhas lágrimas no corpo rolavam:
Lágrimas? Delas ninguém perguntava?

E todos os dias na vida eu ia indo
Sem carinho, alguém, sem lirismo.
Não sorria! Não sabia o que era feliz.
O amor escapava, dançava no abismo.

Mas, pleno dia o céu encheu-se de cor.
Uma luz brilhante foi me abençoando.
Senti o meu coração se iluminando
E aquela escuridão vivida, foi clareando.

Meus olhos sorriram. Não viu o abismo.
Na minha frente estava você me sorrindo.
Seus braços vieram num toque de amor
E o meu amargor foi se consumindo.

O mar de inquietude desapareceu.
Veio você, a alegria nasceu.
Do teu amor ao meu amor
Vivo uma vida nova! O abismo... Pereceu!

Luís de Camões

Quando me quer enganar

Quando me quer enganar
A minha bela perjura,
Pera mais me confirmar
O que quer certificar,
Pelos seus olhos mo jura.
Como meu contentamento
Todo se rege por eles,
Imagina o pensamento
Que se faz agravo a eles
Não crer tão grão juramento.

Porém, como em casos tais
Ando já visto e corrente,
Sem outros certos sinais,
Quanto me ela jura mais,
Tanto mais cuido que mente.
Então, vendo-lhe ofender
Uns tais olhos como aqueles,
Deixo-me antes tudo crer,
Só pela não constranger
A jurar falso por eles.


Seguidores

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

TOPO